Recuperação de senha ?
 
Sociedade Nacional de Combustíveis de Angola
Estratégias Corporativas


Visão Global

Os objectivos da Sonangol para os próximos sete anos são:

  • posicionar-se mundialmente como uma das principais empresas petrolíferas e,
  • maximizar as suas receitas para promoção do desenvolvimento em Angola.

Para cumprimento dos objectivos a empresa tem vindo a implementar, desde 2003, um vasto programa de investimento que visa dinamizar, a longo prazo, o sector de exploração e produção e a curto prazo as actividades de refinação e produção de petroquímicos.

Dinamização da Exploração e Produção (E&P)
O investimento nas áreas de E&P visa aumentar o produção para satisfazer a demanda, aumentando significativamente a produção de crude em Angola do 1 milhão de bpd (barris por dia) actuais para 2 milhões bpd em 2008.

A Sonangol é ainda uma companhia principiante como operadora, mas as diversas parcerias com as principais do ramo petrolífero têm fornecido a experiência e troca de conhecimentos necessários para que a Sonangol possa assumir projectos mais ambiciosos. Assim de operadora em águas pouco profundas (no Bloco 3) a Sonangol começou, desde 2003, a operar também em águas ultra-profundas (no Bloco 34) de modo a aumentar a sua produção de 12,000 bpd para 200,000 bpd em 2009. Esta meta de bpd virá maioritáriamente de concessões em Angola, mas também da arena internacional.

Sonaref e o Projecto ALNGA Sonaref em fase de construção.
Para ter capacidade de resposta à demanda interna a Sonangol, em parceria com as empresas operadoras em Angola, está a construir uma nova refinaria (a Sonaref) e uma fábrica de produção de gás natural liquefeito.

A Sonaref é um projecto estimado em 3,75 biliões de dólares e está a ser construída na cidade do Lobito, província de Benguela. O principal objectivo deste projecto é diminuir a exportação de matéria-prima e complementar a produção da refinaria de Luanda. Quando estiver a produzir, a Sonaref terá capacidade para satisfazer a procura nacional e pelos menos 50% da sua produção será destinada ao mercado externo.

O projecto ALNG (Angola Gás Natural Liquefeito; do inglês Angola's Liquified Natural Gas) surgiu da necessidade da Sonangol ter um fábrica de produção de petroquímicos e também de terminar com a queima de gás resultante da exploração petrolífera. Orçada em 3 biliões de dólares, a fábrica que será construída no Soyo, província do Zaire, deverá entrar em funcionamento em 2008.

Este projecto é resultado de uma parceria entre a Sonangol (22.8%), Chevron (36.4%), bp, ExxonMobil e Total (as três últimas com 13.6%).